quarta-feira, 11 de maio de 2011

Frases Perfeitas




"Essa coisa chamada amor, eu simplesmente não consigo lidar com isso."

Seria mesmo todo sofrimento necessário?
Dizem que na vida a gente tem que sofrer para aprendermos, mas é preciso sofrer tanto?
Certas dores, lágrimas e noites insones são realmente desnecessárias. Não acho que eu tenha o que aprender, não dessa vez.
O amor que eu sinto agora é o tipo mais bonito de amor, é aquele amor sem desejo ou necessidade física, é maternal, é cuidadoso e, por Deus, não dveria ser egoísta, mas é.
E eu não consigo simplesmente amar e ponto. Eu preciso que retribuam, e por mais que eu saiba que sou amada, não é do jeito que eu quero.
Eu querio muito. Eu quero excessos. Eu quero que me sufoquem. Porque é isso o que eu faço, e no fundo, o amor que a gente dá é na verdade o amor que a gente quer receber.

Tem um vazio se formando dentro de mim e é errado eu querer que alguém o preencha, é errado eu sentir ciúmes de algo que não é meu e é errado eu querer toda a atenção, carinho e afeto dele só para mim. Mas eu quero. E quero muito. Mais do que qualquer coisa nessa vida, mais do que minha própria vida.
Eu ando perdendo i controle de quem eu sou, eu não quero mais sair de casa se não for para vê-lo, eu não quero conversar com as pessoas, eu não quero mesmo viver e nem ter momentos ou experiências que me arranquem um sorriso sequer longe dele.
Depender tanto de uma pessoa para ser feliz, querer tanto que um única pessoa me faça faz feliz, acaba fazendo com que eu machuque as outras pessoas ao me redor que amam e se preocupam comigo. Eu tenho amigos, família, sonhos, e eu sempre deixo tudo isso pra lá quando se trata dele.
Por mais que ele vacile, me faça chorar, me deixe de lado quando tudo que eu preciso é de um abraço, eu não consigo, por mais que eu tente, ser assim com ele, porque eu sei (ou apenas quero acreditar) que ele só faz essas coisas por não ter noção alguma do quanto isso me atinge, me machuca, me afeta, me retém...
E assim, sempre que o vejo errando, se machucando ou precisando de um abraço, eu vu até ele, oferecer o ombro amigo que jamais me é oferecido, simplesmente porque todas as dores dele sempre sangram em mim.
E eu estou disposta a suportar isso, mesmo que não seja recíproco.
Os olhos molhados, o coração batendo fraco e apertado como se já não coubesse no peito, o nó na garganta que sufoca a respiração, as mãos trêmulas, o sangue quente... Todas as dores e sofrimentos não me causam medo, desde que no final eu possa ir até ele e ouvir suas frase feitas e ter noites perfeitas.




"Solidão a dois de dia, faz calor, depois faz frio.

Você diz "já foi" e eu concordo contigo.
Você sai de perto eu penso em suicídio,
mas no fundo eu nem ligo.

Você sempre volta com as mesmas notícias.
Eu queria ter uma bomba, um flite paralizante qualquer.
Pra poder me livrar do prático efeito das tuas frases feitas
Das tuas noites perfeitas, perfeitas.

Solidão a dois de dia, faz calor, depois faz frio.
Você diz "já foi" e eu concordo contigo.
Você sai de perto eu penso em homicídio,
mas no fundo eu nem ligo.

Você sempre volta com as mesmas notícias.
Eu queria ter uma bomba, um flite paralizante qualquer.
Pra poder te negar bem no último instante.
Meu mundo que você não vê,
Meu sonho que você não crê, não crê.

Você sempre volta com as mesmas notícias.
Eu queria ter uma bomba, um flite paralizante qualquer.
Pra poder te negar bem no último instante."

- Cazuza

Nenhum comentário:

Postar um comentário